domingo, 7 de abril de 2013

Compra-se?



Tenho visto alguns seres postarem fotos com cartazes que anunciam alguma condição (supostamente inventada por seus pais) para ganharem uma bicicleta, por exemplo. Olhem bem para onde estamos e o modo como vamos driblando a vida máxima e o diálogo mínimo. É como se as relações fossem pautadas pelo indireto, pelo oblíquo, e não mais pelo concreto. Eis a Era dos "hits", cujo critério para o tão relativo sucesso está não no sujeito, mas na quantidade de sinais que "recebe" do maior número possível de pessoas com que mal conversa, ou mesmo anônimos que nunca viu.