quarta-feira, 3 de abril de 2013

É digno de espanto que um brasileiro, mais ou menos despencado sobre o também chamado período Pós-Moderno, tenha a pretensão de dizer "não discuto Política", "não gosto de Política" e congêneres. Tenho a impressão de que se trata de um discurso que revela um misto sentimento: o receio de soar rude e o medo de não chegar a lugar nenhum. Cumpre lembrar que quanto menos discutirmos o que fazem (e deixamos fazer) com a nossa Política, menos chance teremos de reverter qualquer coisa. E pensar que Bertolt Brecht tinha dito isso em forma de versos há tantas e tantas décadas. Quem? Bertolt Brecht? Ah, brincou né, seu blogueiro pedante... Que coisa mais antiga. Deixe-me voltar para minha super micro tela e ver as coisas "densas" de hoje.