segunda-feira, 22 de junho de 2015

Alunos: espaço ocupado

A exemplo do que dizem os versos de Drummond, em Poema de sete faces, "tenho poucos e raros amigos; quase não converso". Hoje, enquanto acompanhava os alunos durante a realização das questões que formulei para a prova, ocorreu-me uma nova síntese. Creio que finalmente entendi porque tenho um número menor de amigos; e porque, em mim, a vontade de conversar sobre amenidades e ideias-prontas é quase nula. É que, desde que passei a lecionar, reservo o inconformismo, a dedicação e a tentativa de ser uma pessoa coerente a essas criaturas - de quem, a cada final de semestre, sinto saudade e para quem desejo sempre que sua trajetória traga felicidade para si e todos os outros. "Estudo" e "estudante" talvez sejam as entidades de que mais me ocupo. E repare(m) que nem tomei conhaque, nem o sol impediu a lógica porventura embutida nessas palavras: talvez piegas, mas honestas.