terça-feira, 23 de junho de 2015

Hipocrisia em azul e amarelo

Desde os chamados anos de chumbo, ser "nacionalista" neste país-nas-mãos-de-deus é defender a privatização generalizada, priorizar as manifestações culturais dos Estados Unidos; ler mal a Veja, a Folha e companhia; assistir acriticamente às emissoras de rádio e televisão. Mas, é claro, essa parcela de pseudo nacionalistas constitui-se dos mesmos hipócritas que vivem a relativizar as suas contradições, em nome das cores da bandeira (cujo significado tosco em geral ignoram). Tsc, tsc.